Homem que passou por tratamento para câncer morre em acidente

 
O mineiro de 62 anos, Vamberto Luiz de Castro, que foi o primeiro paciente brasileiro a receber tratamento de câncer totalmente personalizado, morreu após um acidente que causou traumatismo craniano grave. Em menos de 20 dias do início do tratamento, que combinava imunoterapia com engenharia genética, a doença havia caído para um nível muito baixo. Seu caso tornou-se conhecido em todo o mundo. A polícia civil de Minas Gerais informou que o corpo de Vamberto foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) em 11 de dezembro. Somente após o relatório necroscópico é possível determinar se há sinais de violência na morte de Vamberto ou não. O relatório estará pronto em 30 dias.
Há dois anos, Vamberto foi diagnosticado com linfoma não-Hodgkin de alto risco, um câncer hematológico grave. De setembro de 2017 a junho deste ano, ela recebeu quatro tratamentos sem sucesso. O linfoma é um câncer que afeta o sistema imunológico e, devido à doença, seu prognóstico é inferior a um ano. Diferentemente dos medicamentos disponíveis atualmente, cada dose é personalizada para o paciente, e a logística para esse fim é complexa. Menos de 20 dias após o início do tratamento, os testes mostraram que as células cancerígenas haviam desaparecido. Os sintomas - suores noturnos, perda de peso e um caroço no pescoço - desapareceram.

Nenhum comentário