Menino de 3 anos morre após padrasto joga-lo da janela no Rio de Janeiro


Uma criança de três anos morreu após ser jogada pela janela pelo padrasto na tarde desta terça-feira em Cachambi, zona norte da cidade. O garoto Enzo Almeida Pelegrini foi resgatado e levado ao Hospital Municipal Salgado Filho, em Méier, mas faleceu.
O padrasto pulou pela janela depois de jogar a criança e morreu imediatamente. Camila Cerqueira, mãe de Enzo Almeida Pelegrini, disse à delegacia que mantinha um relacionamento com Luiz Eduardo Lopo, 38 anos, há oito meses.
Ela disse que suspeitava que ele estivesse com problemas de saúde mental, mesmo que não estivesse sendo tratado. O pai do menino, Adriano Bruno Peregrino da Silva, ficou muito chocado no hospital ao levar a documentação da criança e não quis falar com a imprensa.
Ele disse a um policial militar que trabalhava na unidade de saúde e lutava pela custódia de seu filho no tribunal há um ano e meio.
Segundo Camila, eles dormiram em seu apartamento na Rua Cachambi na noite passada e acordaram bem. No início da tarde, Luiz começou a gritar e jogar objetos no apartamento do quarto andar. Então, de acordo com a mãe do garoto, ele saiu e se jogou na frente dos carros. Pouco tempo depois, Luiz Eduardo subiu novamente e jogou a criança.
Quando Camila voltou ao térreo para ajudar seu próprio filho, o padrasto da criança se jogou. Luiz Eduardo Lopo morreu no local.
Camila disse na delegacia que morava com a mãe até segunda-feira, em Brásde Pina.
No entanto, sua mãe não permitiu que eles permanecessem lá após a briga envolvendo Louis. Vizinhos dizem que surtos do padrasto erão comuns, no entanto, o relatório contradiz as alegações de Camilla.
No local, vizinhos disseram que o surto do homem foi generalizado e que ele usava drogas.

Nenhum comentário