Suspeito de esfaquear namorada até a morte diz à polícia que o WhatsApp levou à briga

 
O homem preso, suspeito de assassinar a mulher esfaqueada de 29 anos em Itu (SP), foi preso temporariamente por 30 dias e contou à polícia quando revelou que "não pretendia matar". O caso foi registrado no bairro Alberto Gomes por volta das 23h30 do domingo (16). André Vinícius Silva de Vasconcelos, 23 anos, disse à polícia civil quando foi interrogado que não queria matá-la, ele queria feri-la. O casal teria discutido durante uma crise de ciúmes porque ele queria que sua namorada deixasse o WhatsApp.
 Os investigados foram encaminhados para a Unidade Penitenciária de São Roque e podem ter a prisão renovada pela Justiça ou decretar o preventivo e ser preso até o julgamento.
Segundo a Polícia Militar, a equipe foi chamada para lidar com uma ocorrência de desentendimento entre casal. Ao chegar ao local, a polícia foi informada pela padrasto da vítima, Danielle Priscila Ribeiro, que ela havia sido atacada pelo namorado com três facadas nas costas, cabeça e punho. O filho de 8 anos da jovem teria visto o ataque.
 As autoridades policiais também verificaram que o crime ocorreu durante uma discussão em uma sala. Danielle foi resgatada e levada viva ao Hospital São Camilo, mas não resistiu aos ferimentos. O suspeito do crime, André Vinícius, fugiu após o crime e escondeu a faca debaixo de um caminhão, a um quarteirão de distância. Ele foi preso na manhã de segunda-feira (17) depois de se apresentar à delegacia.

Nenhum comentário